Av. Brigadeiro Faria Lima, 3311 - 3º Andar - São Paulo
+55 (11) 3288-6060
Av. Rio Branco, 151 - 5° andar - Rio de Janeiro
+55 (21) 3553-1707 Menu
image description

Mães e o Mercado de Trabalho

Infográfico com pesquisas realizadas nos dois últimos anos sobre o cenário das mães no mercado de trabalho

08 / 05 / 2018 - Estudos ///

A mulher brasileira ainda vive – ou sobrevive –  em uma sociedade predominantemente dominada por homens. Nesse cenário adverso, elas não apenas buscam a independência financeira e a realização profissional, mas lutam por uma sociedade igualitária e justa.

O mercado de trabalho brasileiro mostra que as mulheres ainda têm um longo caminho a percorrer para obter o mesmo reconhecimento que os homens. Pesquisas realizadas em 2015 e 2017 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Catho respectivamente apontam que a taxa de participação das mulheres no mercado de trabalho ainda é bem mais baixa do que a dos homens, assim como a discrepância dos salários. As maiores diferenças salariais se dão entre os profissionais de nível superior e com MBA – as mulheres ganham quase a metade do salário dos homens. Com relação à distribuição das mulheres entre cargos de gestão, houve uma pequena melhora desde 2011, mas as desigualdades ainda aparecem e aumentam à medida que o nível hierárquico sobe.

O período da maternidade agrava esse cenário e influencia o que pode representar uma pausa na carreira de muitas mulheres, isso é explicado pelo fato de que a responsabilidade de criar os filhos ainda permanece, majoritariamente, atrelada ao sexo feminino.

A partir deste panorama, como é que as próprias mulheres percebem a possibilidade de conciliar carreira profissional e maternidade. E como se veem no conflito de ter ou não filhos?

Os empecilhos profissionais das mulheres se tornam maiores quando decidem engravidar. E, ainda, sofrem a carência de um planejamento por parte dos seus gestores sobre como lidar com o período de ausência devido à maternidade. Após a gestação, vem um momento especial e que demanda muita energia, mas nem todas as mulheres conseguem retomar suas atividades após o período de licença-maternidade.

A presença de um filho pequeno é um importante fator e responsável pela diminuição das perspectivas de carreira das mulheres no mercado de trabalho, pois muitas acabam abrindo mão da vida profissional em prol da maternidade, interferindo diretamente no retorno dessas profissionais e, assim, no quantitativo de mulheres no mercado.

Com todo esse contexto, é primordial que o mercado busque soluções que garantam a presença das mulheres no mercado de trabalho, ao mesmo tempo que permitam às mesmas exercerem a maternidade de forma plena.

O SV Law reuniu importantes pesquisas feitas pelo IBGE, INSPER e Catho no período de 2015 a 2017 que trazem em números uma reflexão mercadológica. Leia o material na íntegra.

Visualizar Infográfico

Pensando em soluções para esta realidade, o SV Law lançou neste mês o Programa Mães Advogadas, conheça e participe da iniciativa.

Receba nossa newsletter